Triunfo histórico de Alexandre Camacho no Rali Vinho da Madeira; José Pedro Fontes vitorioso para o CPR

Alexandre Camacho tornou-se este sábado o primeiro piloto a ganhar o Rali Vinho da Madeira por cinco vezes. O piloto aproveitou bem a vantagem...

Alexandre Camacho tornou-se este sábado o primeiro piloto a ganhar o Rali Vinho da Madeira por cinco vezes. O piloto aproveitou bem a vantagem que tinha depois da manhã de sábado para cumprir este que era o seu desiderato. Em terceiro lugar absoluto, José Pedro Fontes somou a primeira vitória da época no Campeonato de Portugal de Ralis (CPR).

A parte final do rali começou com a PEC 14 (Câmara de Lobos 2), na qual Miguel Nunes (Skoda) foi um segundo mais veloz do que Fontes (Citroën Vodafone Team). Com o terceiro registo, Camacho (Skoda) cedeu distanciou-se do principal perseguidor, Bruno Magalhães (Team Hyundai Portugal)... que viria a ficar de fora com problemas no troço seguinte (Ponta do Sol 2). Nunes, que fez de novo o melhor crono, aproveitou para subir a segundo e Fontes colocou-se em terceiro na liderança do CPR. Nunes voltou a assinar o melhor tempo na PEC 16 – segunda passagem por Ponta do Pargo – sendo 3,1s mais veloz do que Camacho.

Seguiu-se a Power Stage de encerramento com a 17.ª especial, no troço de Rosário. Nunes completou o pleno de vitórias em especiais este sábado, mas Camacho garantiu o triunfo final com o segundo tempo a 1,2s. Os dois primeiros, madeirenses de origem, ficaram separados por 11,5s na classificação final. Com o terceiro registo, Fontes foi o mais forte do CPR na Power Stage, para garantir o terceiro lugar absoluto e a vitória para o campeonato nacional. Ficou a 22,1s de Camacho. O top cinco da geral foi completado por Armindo Araújo (The Racing Factory/Skoda) que também pontua para o CPR e Bernardo Sousa (Citroën). Seguiram-se Miguel Correia (ARC Sport/Skoda) e Ricardo Teodósio (Team Hyundai Portugal).

O resumo do rali

Imagem: Rali Vinho da Madeira

O Rali Vinho da Madeira começou com uma super-especial ao fim de tarde na quinta-feira no centro do Funchal, na qual Magalhães fez o melhor tempo 0,3s na frente de Simone Campedelli (Skoda). Camacho foi apenas sexto a 2,5s, mas a partir da PEC 2 no dia seguinte a luta pela vitória rapidamente se tornou num assunto a dois entre o madeirense e Magalhães.

Ambos se revezaram no comando da classificação geral, enquanto o lisboeta esteve sempre no topo do CPR. Na PEC 9, marcada pelo nevoeiro ontem ao fim do dia, Magalhães passou para a frente do rali com uma vantagem aparentemente tranquila de 19,3s. No entanto, essa esfumou-se ao longo da manhã de sábado.
Nessa parte do rali, Nunes consumou todas as vitórias em classificativa para se colocar na luta pelo pódio: ao qual chegou na PEC 13, quando Camacho recuperou a liderança. Durante a tarde, a toada de Nunes continuou igual à da manhã, enquanto Camacho viu a sua vitória ficar mais próxima com o abandono de Magalhães na PEC 15.

Daí em diante, também Fontes ficou na disputa pelas posições do pódio absoluto e passou a comandar entre os pilotos do CPR com mais de 24 segundos de margem sobre Araújo. Faltavam duas especiais e nada mais se alterou no topo, com Camacho a conseguir selar a vitória que queria e Nunes a fazer o pleno de triunfos em classificativa neste sábado.

Fontes estreou-se a ganhar na presente época do CPR com o terceiro lugar absoluto – Camacho e Nunes não estão inscritos nessas contas – batendo Araújo que, deste modo, até cimentou a liderança do campeonato. O piloto de Santo Tirso ficou na frente de Correia, que é o seu principal perseguidor na temporada.

Top dez final (absoluto):

Top dez final (CPR):

Etiquetas:
Artigos Relacionados