Tensão e desagrado entre F1 e FIA pelo calendário de 2023?

Esta semana, a FIA anunciou o calendário de Fórmula 1 para o próximo ano, com um número recorde de 24 rondas – incluindo duas sequências de três Grand...

Esta semana, a FIA anunciou o calendário de Fórmula 1 para o próximo ano, com um número recorde de 24 rondas – incluindo duas sequências de três Grandes Prémios consecutivos sendo que uma delas não terá sido aprovada pelas equipas.

De acordo com a edição italiana do site Motorsport.com, a FIA não terá informado a Liberty Media – detentora dos direitos comerciais da F1 – acerca da divulgação do calendário como é habitual. O que também terá desagradado foi o crédito assumido por parte da entidade federativa através do seu presidente, Mohammed Ben Sulayem, pela agenda montada.

O jornal The Guardian escreve que o membro de uma equipa não identificado classificou a atitude da FIA para com as equipas e a F1 como ‘inaceitável’. A ronda tripla que junta os GP dos Estados Unidos da América, México e do Brasil – fora da Europa – carecia de aprovação de todas as equipas, mas estas não terão sido consultadas pela FIA.

Este trata-se de mais um alegado caso que coloca a F1, as equipas e a FIA em «rota de colisão» este ano – depois da controvérsia acerca da proibição do uso de peças de joalheria pr parte dos pilotos, a confusão sobre as penalizações que criou incerteza durante horas nos GP da Bélgica e de Itália e as decisões sobre o fim do GP de Itália atrás do safety car.

Etiquetas:
Artigos Relacionados