Hyundai oficializa Craig Breen e Esapekka Lappi para o WRC em 2023

Está fechado o alinhamento de pilotos da Hyundai para o Mundial de Ralis (WRC) no próximo ano. Às já esperadas continuidades de Dani Sordo e de Thierr...

Está fechado o alinhamento de pilotos da Hyundai para o Mundial de Ralis (WRC) no próximo ano. Às já esperadas continuidades de Dani Sordo e de Thierry Neuville juntam-se os recém-chegados Craig Breen e Esapekka Lappi.

Os pilotos permanentes serão Neuville e Esapekka Lappi. Este é proveniente da Toyota, que lhe permitiu este ano voltar à classe principal num programa a tempo parcial. Realizando seis participações, conseguiu ficar no pódio em três. Agora, Lappi sucede a Ott Tänak na equipa sul-coreana.

Quanto a Breen, saiu da M-Sport Ford depois da sua primeira temporada completa no WRC e agora passa a um programa parcial em que dividirá o terceiro i20 N Rally1 com Sordo – algo que este ano incumbiu a Oliver Solberg, cuja continuidade foi dispensada. É um regresso à Hyundai, onde esteve entre 2019 e 2021 em condições semelhantes.

Julien Moncet, vice-diretor de equipa da Hyundai, afirmou em comunicado: ‘Estamos satisfeitos por confirmar o nosso alinhamento de pilotos completo para a época de 2023 do WRC com três carros e quatro tripulações experientes. Com o Thierry conhecemos o potencial de rendimento dele e o apetite dele por lutar pelo título de pilotos. Com o Esapekka a juntar-se à equipa a tempo inteiro, temos um alinhamento de pilotos que pode competir pelas posições de topo em todas as provas e em todos os pisos. O Esapekka tem também a experiência requerida para nos ajudar a desenvolver o nosso Hyundai i20 N Rally1, o que será fundamental ao longo da temporada’.

Sobre Breen e Sordo, o responsável comentou: ‘Partilhando o terceiro carro, temos o Dani – que é o jogador de equipa perfeito e um par de mãos de confiança; ele obteve cinco pódios nas últimas seis provas dele, o que diz tudo. O Craig volta à equipa totalmente motivado e assegura um alinhamento de talento invejável para apoiar o Thierry e o Esapekka’.

Por fim, Moncet fez um apanhado geral: ‘Com estas quatro tripulações temos uma combinação competitiva e experiente de talento, o que irá sustentar o espírito de trabalho em equipa e mentalmente dentro de toda a nossa organização’.

Etiquetas:
Artigos Relacionados