FIA analisa possível atribuição de Super Licença a Colton Herta

Colton Herta é um dos pilotos apontados à Fórmula 1 para 2023, sendo ligado nos últimos dias à AlphaTauri. No entanto, para já, ainda não tem Super Li...

Colton Herta é um dos pilotos apontados à Fórmula 1 para 2023, sendo ligado nos últimos dias à AlphaTauri. No entanto, para já, ainda não tem Super Licença, e a FIA estará a analisar as credenciais do atual piloto das IndyCar Series para aceder ao documento obrigatório para qualquer piloto da classe rainha.

A informação é adiantada pelo site Motorsport.com. Atualmente, Herta tem 32 pontos dos 40 necessários, e na presente temporada não deverá conseguir uma classificação final nas IndyCar Series que lhe permita atingir a fasquia. Porém, como é o piloto americano mais bem colocado para chegar à F1 e há uma grande vontade em contar com um piloto daquele país no pelotão, há pressão para a interpretação do sistema da Super Licença.

Segundo o já mencionado órgão, uma das possibilidades para Herta reside no facto de poder ganhar um ponto extra por cada FP1 que fizer na F1 com pelo menos 100km percorridos e sem qualquer penalização pontual. Se o piloto disputar todos os primeiros treinos livres após a época das IndyCar Series, poderia chegare aos 38 pontos para a super Licença. Porém, nesta altura parece improvável que alguma equipa consiga montar um programa desse tipo.

Mas a FIA até prevê a possibilidade de dar a Super Licença a um piloto com pelo menos 30 pontos, que seja impedido de aceder à pontuação estipulada ‘devido a circunstâncias fora do seu controlo ou a motivos de força maior’. Em 2018, Herta foi segundo nas Indy Lights (equivalente a 12 pontos), mas como houve apenas oito pilotos regulares os critérios da FIA para a atribuição de pontos de Super Licença não foram cumpridos. Ainda assim, é uma circunstância fora do controlo de Herta.

Já força maior poderia ser se o americano solicitasse uma Super Licença completa para competir na F1 em 2022, o que poderia abrir o leque de contabilidade para a Super Licença entre 2018 e 2021. Porém, para tal, teria de disputar um GP desta época, o que não se perspetiva como algo provável.

Etiquetas:
Artigos Relacionados