Armindo Araújo sagrou-se campeão na vitória de Bruno Magalhães no Rali da Água

Armindo Araújo consumou este sábado o seu sétimo título nacional de ralis. O terceiro lugar no Rali da Água CIM Alto Tâmega chegou para o pilo...

Armindo Araújo consumou este sábado o seu sétimo título nacional de ralis. O terceiro lugar no Rali da Água CIM Alto Tâmega chegou para o piloto de Santo Tirso selar o título, numa prova com triunfo de Bruno Magalhães.

A segunda parte de sábado começou tal como de manhã, com a Team Hyundai Portugal no topo da tabela de tempos: Ricardo Teodósio superou Magalhães por 1,2s na PEC 7 (CIM Alto Tâmega 2). Araújo (The Racing Factory/Skoda) fez o terceiro tempo a 5,9s. José Pedro Fontes (Citroën Vodafone Team) defendia a liderança da prova, mas teve problemas e com o 17.º tempo ficou arredado da luta pelos lugares cimeiros.

A segunda ida ao troço Carvalhelhos/Boticas marcou a PEC 8, em que Teodósio bateu Fontes por 1,1s. Magalhães rubricou o terceiro registo a 3,1s, mas conservou a dianteira com 7,2s de margem antes da derradeira classificativa. Araújo, autor do sexto crono, manteve um confortável terceiro posto no rali à frente de Pedro Meireles (Team Hyundai Portugal).

A prova fechou com a Power Stage no troço de Boticas/Vidago. Bernardo Sousa (Citroën) assinou a melhor marca 0,481s na frente de Magalhães, para garantir o quarto posto final por troca com Meireles. Já Magalhães fez mais do que suficiente para consumar o triunfo no rali ficando oito segundos exatos na frente de Teodósio. O algarvio foi quarto na PEC 9, também atrás de Fontes. Miguel Correia (ARC Sport/Skoda), que de manhã se atrasou devido a furo, fez o quinto tempo, e Araújo o oitavo. Desse modo, selou o terceiro posto final no rali e o título de campeão nacional deste ano.

O resumo do rali

O Rali da Água CIM Alto Tâmega começou ontem à tarde com a PEC 1 (Alto Tâmega 1), em que Magalhães se tornou no primeiro líder. Porém, logo na classificativa seguinte Fontes passou para o topo, onde se manteve por apenas quatro décimos após a super-especial noturna Território da Água. Enquanto isso, Araújo instalava-se no terceiro lugar e Correia era sétimo.

A manhã de sábado começou com Magalhães a voltar à dianteira depois de ter sido segundo na PEC 4 (CIM Alto Tâmega 1) atrás do colega Teodósio... que conquistou o terceiro posto nessa altura. Um furo na PEC 5 tirou quaisquer esperanças a Correia de lutar por um resultado que o mantivesse na luta pelo título e, no troço seguinte, Fontes voltou a ser o líder.

Porém, o piloto nortenho teve problemas na PEC 7 e cedeu de novo o primeiro posto a Magalhães, além de cair para sexto. Daí em diante, Teodósio ficou como principal perseguidor de Magalhães e não teve argumentos para o destronar. Deste modo, o lisboeta selou o triunfo na frente do algarvio. Araújo fez uma prova sólida entre os cinco mais velozes dos troços para ser terceiro e conquistar desde já o título.

Uma das boas surpresas foi Sousa, que continua a dar os primeiros passos neste seu regresso aos ralis e conquistou um quarto lugar a 10,8s do pódio – coroando a exibição com o melhor tempo da Power Stage, de modo a ultrapassar Meireles. Fontes concluiu na sexta posição e, depois do furo, Correia não conseguiu fazer melhor do que o 16.º posto final. 

Top dez final:

Etiquetas:
Artigos Relacionados